Tels: (21) 2577-6433 (21) 3435-2477

A Secretaria de Estado de Transportes informou que a atividade é considerada essencial e está autorizada a embarcar

A entidade que representa a categoria relata a existência de problemas durante a triagem (Foto: Divulgação)

Apesar da Secretaria de Estado de Transportes informar que profissionais ligados ao controle de vetores e pragas têm autorização para poder embarcar nos transportes públicos intermunicipais, por serem de uma atividade considerada essencial, a entidade que representa a categoria relata a existência de problemas durante a triagem.

Segundo o assessor jurídico da Associação Brasileira no Controle de Vetores e Pragas, Marco Aurelio de Lucas, alguns trabalhadores estão sendo impedidos de circular na Região Metropolitana.

O advogado lembra que o serviço, enquadrado como asseio e conservação, é fundamental para evitar o surto de outras doenças durante a pandemia do novo coronavírus.

Procurado, o Governo do Estado informou que os profissionais podem sim embarcar, mas munidos de documento de identidade profissional, carteira de trabalho ou crachá funcional.

Já o Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Rio reforçou a importância de que as empresas tomadoras dos serviços continuem horando com seus compromissos nesse momento de pandemia.

Fonte: BandNews